Luz na Escuridão – Uma Jornada Hecatina

 “O ignorante teme a noite ou a desrespeita.”

Seria correto afirmar que a Deusa Bruxa dispensa apresentação? Creio que não, visto a quantidade de equívocos e superficialidade com que seu culto é tratado. Hécate é o poder por trás do trono, aquela que reina sobre o governante, portanto a ela não importa reconhecimento ou holofotes. Seus domínios estendem-se no inconsciente coletivo, onde inspira a humanidade e orienta os que não temem cruzar a ponte para além da lógica tacanha, que tanto escraviza a mente.

A matrona das feiticeiras mantem-se nas sombras, longe de olhos curiosos e cobiçosos, ignorando os sedentos por poder para satisfação do ego. Aqueles que a procuram com a ilusão de que são especiais jamais chegarão ao pórtico da terra dos mortos, onde ela instrui com as almas dos sábios, seus escolhidos.

Na tripla encruzilhada da vida Hécate contempla o ontem, o hoje e o amanhã. Tendo assim papel importante nos destinos humanos, presidindo o nascimento, a vida e a morte de todos os seres. Em suas mãos residem as tochas onde arde a chama do conhecimento ancestral, com as quais ela nos guia rumo ao píncaro da escuridão. É no mais profundo de nosso ser que sua luz aparta a sombra, nos permitindo conhecer quem de fato somos.

 “Os que anseiam por renascer tem em Hécate uma aliada.”

Suas bênçãos são tantas quantas suas faces: imersão nas ciências ocultas, magia, boa saúde, carisma, riqueza, tornar sagrado o profano, mediunidade, dons psíquicos e poderes restauradores. No entanto existem características negativas com as quais devemos aprender a conviver e controlar: falsidade, ironia, sarcasmo, sexualidade rude e extrema antipatia eventual.

Os que se assustam com ossos, se enojam com sangue ou fogem da morte não possuem a matéria prima necessária para construir o alicerce de uma relação real com a rainha da noite. Um hecatino não teme sujar as mãos, tão pouco perde o controle diante de algo de natureza pútrida, afinal a decomposição faz parte da vida.

Aos neófitos digo que a busca por contata-la quase sempre é frustrada, é dela a decisão de apresentar-se ou não. E aos incautos que ignorarem o aviso, advirto que se perderão em um emaranhado de enganos e serão tragados por um mar de duvidas e desalento. Ninguém adentra seus domínios sem convite e tão pouco pode lhe impor sua presença.

Não temerei a noite

Não temerei a morte

Pois são os caminhos

Que me levarão a ti

Belo é o brilho da prata

Que adorna a tua fronte

Intensa é a luz que mata

E me faz beber da fonte

Não temerei a dor

Não temerei a solidão

Afinal uma ensina

E a outra é ilusão

Belo é o brilho do fogo

Que arde em tuas tochas

Intensa é a luz que guia

E conduz meu coração

Não temerei amarras

Não me porão grilhões

Serei livre como vento

Que me sopra em sua direção

Ensina-me a palavra

Mostra-me o segredo

Revele a charada

Que destrói o pesadelo

Não temerei o fracasso

Não irei me curvar

Sou arauto do escuro

Onde estás a reinar

29
5 Discussions on
“Luz na Escuridão – Uma Jornada Hecatina”
  • MM. Maurício, parabéns, muito profunda e sincera sua exposição. Para mim, a única face que ao mundo espiritual importa, em referência a qualquer um, é a classe de pureza de seu espírito. Na minha leiga opinião, nosso espírito assemelha-se à água, quanto mais límpida e pura, melhor para se beber. Quando se faz “contato” espiritual, pode-se dizer que um espírito entra literalmente em contato com o outro, então é natural que se você não tem espírito compatível, nenhum Deus, Deusa, ou espírito evoluído vai permitir este contato “impuro”. Somos totalmente transparentes aos olhares do divino. BB.

  • tudo que estou lendo até agora,me deixou surpreso ,sou um mero buscador,mas gostaria de tornar um aprendiz,de Bruxo,1 primeiro aprender e sim depois tornar-se um bruxo,Sr;Mauricio ,gostaria de me tornar um bruxo,como que eu faço,o Senhor pode me ajudar,Obrigado

Deixe uma resposta