O Real Sabor da Bruxaria

Temos sido bombardeados por inúmeros textos e postagens, nem sempre mal intencionados, mas que acabam por restringir a visão do que é ser bruxo. Pessoas ditando regras ou pré-requisitos necessários para que um indivíduo ou grupo possam ser considerados praticantes dignos da Arte sem nome. Em um misto insano de pretensas diretrizes esquecem-se de que existe um único fator verdadeiro que personifica o bruxo: O PODER.

Aqueles que têm o dom de transformar e comungar entre mundos são marcados por sigilos apócrifos, de natureza perene e mutável. As máscaras mudam, a essência permanece. E sendo a magia um conjunto de forças criacionais, quão abrangente ela pode ser? Suas expressões alcançam um incontável de formas legítimas de manifestações.

Tem faltado cuidado e sensibilidade por parte de muitos quando generalizam um ofício tão ou mais abrangente do que a gastronomia. Existe um senso comum sobre que temperos usar, como cozinhar e servir. Todavia sempre existirão maneiras diferentes de preparar os mesmos ingredientes, acrescentando novos temperos e apresentações aos pratos. Quais as formas corretas ou os sabores ideais? Caríssimos, é simples: aqueles que agradarem os vossos paladares. Do doce ao amargo, do cru ao cozido, o importante é atender as necessidades e expectativas.

Quando vejo comedores de Cup Noodles brincando de críticos gastronômicos sinceramente me espanto. Paladares podem e devem ser educados para reconhecer a genialidade até nos sabores que não nos são agradáveis. Isso se faz necessário se desejarmos proferir opiniões sobre o sabor alheio.

Aos “cozinheiros” do destino deixo um conselho que me foi dito por pessoas muito queridas, mas que só o tempo na cozinha da vida realmente me ensinou: confie em seu talento e absorva apenas as críticas construtivas. Acima de tudo a opinião que deve sempre prevalecer a respeito dos pratos cozinhados É A SUA.

18
4 Discussions on
“O Real Sabor da Bruxaria”
  • Adorei o texto. Muito interessante e divertida a metáfora que você faz com o ato de cozinhar.
    Acho que é bem por aí, a liberdade de criar faz com que a Arte permaneça viva. Porém é bem interessante quando as pessoas sabem o que estão fazendo e não ofereçam macarrão instantâneo dizendo que é prato de primeira rs seja por falta de conhecimento ou má vontade.
    Enfim, parabéns pelo blog e pela escrita tão deliciosa.

  • Não conhecia, aliás não conheço .
    Achei super interessante.
    Parabéns, virei mais na sua página para aprender, ter conhecimento.

Deixe uma resposta